07/09/2011

PROFESSORA TIRA ROUPA EM PROTESTO NO PIAUÍ

No Piauí, uma professora identificada como Josilda, subiu num carro de som e começou a tirar a roupa, em protesto, segundo ela, contra as opressões do capitalismo.

Os manifestantes em volta tentaram controlar a mulher, que acabou ficando completamente nua. Minutos depois, amigos fizeram com que ela colocasse a roupa novamente...continue lendo no blog de Hugo Freitas






2 comentários:

  1. O importante não é tirar a roupa e sim os politicos sem compromiso com as clases. Vamos para a greve novamente Maranhão.

    ResponderExcluir
  2. Repito o que comentei no blog do Eri Castro e acrescento umas coisinhas:
    Quanto à essa maluca que tirou a roupa para protestar "contra as opressões do capitalismo", digo o seguinte: "Ó, "fessora", vá morar em Cuba. Lá vc não precisará tirar a roupa para protestar. O socialismo (=socializador da miséria) se encarregará de tirá-la DE você!
    Então, a ANEL da Lorena quer o Passe Livre Já, ou seja, transporte gratuito. Lindo! É o socialismo em ação! Mas, uma perguntinha: quem paga a conta?
    Esses esquerdistas maravilhosos com suas idéias mirabolantes!
    Protesto mesmo é aquele que os perseguidos pelo regime socialista de Fidel Castro em Cuba que lhes tira não só a roupa, mas comida e a esperança, a dignidade e a vida: Orlando Zapata morreu após 85 dias de greve de fome em Havana, a capital do "território liovre das américas", Cuba. E pensar que é um regime assassino (não só em Cuba, mas em todo lugar onde o tal socialismo foi implantado, os esquerdistas produziram milhões de cadáveres!) como esse que o esquerdistas queriam implantar no Brasil!. É o regime que Zé Dirceu, o confesso ladrão de hóstias, aclamado como "guerreiro do Brasil" naquele convescote de esquerdopatas, o congresso do PT, sim, era um regime como esse que o Dirceu queria implantar no Brasil.
    Vai para Cuba, professora, ou para Coréia do Norte ou para a China... (ops, a China já não é mais aquela). As opções são poucas e é bom aproveitar antes que elas acabem.

    ResponderExcluir

Fique à vontade e seja bem vindo ao debate!