12/06/2011

Dia dos Namorados

As tantas datas comemorativas que se seguem dia após dia, com uma propagação initerrupta e inexorável pela mídia, tem um objetivo central e claro que é o consumo em si. A valorização real da pessoa humana se secundariza diante da necessidade de boas vendas e do aquecimento do mercado.


O presente virou uma obrigação entre as pessoas que nem sempre se percebem usadas pelo sistema. O amor na sua essencia mais sublime, sofre um processo profundo de letal deturpação se transformando em sinônimo de capacidade de consumo. Nessa lógica equivocada, quem pode comprar mais, melhor e mais caros produtos, eleva sua capacidade de amar.

Contudo, neste como em todos os outros dias quero homenagear aos que amam sem preço, que percebem o amor na simplicidade dos gestos, no simbolismo que se sobrepõe o material, no abraço quente e caloroso da pessoa amada, na singeleza do olhar, do sorrir, do tocar, da carícia, do respeitar e do compreender. O amor precisa ser liberto de todas as amarras que o suprime.

É nesse sentido que homenageio minha namorada eterna, a pessoa que me complementa espiritual e humanamente, que divide comigo a eterna beleza do viver,a minha esposa Vanessa Freitas.

3 comentários:

  1. Falou o Carlos apaixonado. http://www.opiniaodotamarina.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Anônimo14:33

    Até para copiar tu és ruim, hein.
    "simplesmente amor"

    ResponderExcluir
  3. Caro anônimo, esse erro foi uma infelicidade por pura falta de atenção, erro de outros que não percebi ao portar a foto.

    é claro que erro mas palavras tão simples não costumo mesmo.

    obrigado pela observação.

    ResponderExcluir

Fique à vontade e seja bem vindo ao debate!